Meio Ambiente espera chegar à COP-23 com o compromisso de criação do RenovaBio

O Ministério do Meio Ambiente espera que o Palácio do Planalto encaminhe ao Congresso Nacional, até início de novembro, medida provisória ou projeto de lei para criação do RenovaBio, uma nova política de biocombustíveis que ajudaria o Brasil a cumprir as metas de redução de CO2. A intenção do MMA é chegar à 23º Conferência das Partes (COP-23), que será reliazada em Bonn, na Alemanha, entre 6 e 17 novembro, com esse compromisso assumido.

O MMA também aguarda o aval do Ministério da Agricultura para anunciar o Plano Nacional de Recuperação da Vegetação Nativa, que também vai contribuir para a redução das emissões. O plano depende do aval de quatro ministérios e apenas a pasta da Agricultura não deu sua palavra final.

– O setor de biocombustíveis está pronto e disposto a avançar. Só não fizemos o anúncio ainda porque dependemos do Congresso. O Planalto precisa dar ao menos uma sinalização de como será o programa. Espero que estejamos em condição de anunciar o programa e o plano de recuperação vegetal em Bonn – disse Everton Lucero, secretário de Mudança do Clima e Florestas do MMA.

Lucero participou nesta segunda-feira de uma oficina para jornalistas organizada pela Andi, a Agência de Notícias dos Direitos da Infância.

Segundo ele, de concreto por enquanto, o MMA levará à COP-23 a redução de 16% do desmatamento no Brasil nos 12 meses encerrados em julho de 2017. O Brasil assumiu o compromisso de reduzir em 37% as emissões de CO2 até 2025 e 41% até 2030, tendo como referência as emissões de 2005.

Por Danielle Nogueira, para O Globo